Evento reúne empresários envolvidos na produção de cachaça.

05 Fevereiro, 2018 Blog
Goiás se destaca como um dos maiores produtores de cana-de-açúcar do Brasil, diante disso vem aumentando a produção de cachaça no estado. Com o objetivo de contribuir para o crescimento do segmento, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Goiás) criou o Projeto de Desenvolvimento da Cachaça de Alambique. O projeto atende 500 empreendedores, sendo 100 de forma direta e 400 de forma indireta. Para iniciar as ações do programa deste ano, nesta terça-feira (6/2), das 8h às 18h, no auditório do Sebrae, em Goiânia, será realizado o evento Sabor da Experiência – da Cana ao Copo. O evento traz informações de mercado, palestras e demonstrações gastronômicas sobre a versatilidade do produto. Diversos assuntos relevantes para o segmento serão discutidos, dentre eles, harmonização dos pratos, segredos da mixologia de drinks com cachaça e o Arranjo Produtivo Local (APL), com ênfase no novo olhar sobre a cachaça de…

3º Ranking da Cúpula da Cachaça elege as 50 melhores do Brasil; confira a lista

01 Fevereiro, 2018 Blog
De Analândia (SP) “A cachaça mudou de lugar, saiu de baixo do balcão do bar e foi parar na prateleira, cheia de orgulho.” A frase dita pelo célebre bartender Derivan de Souza durante o 3º Ranking da Cúpula da Cachaça ilustra o momento que o destilado nacional vive. Depois de dois dias degustando (às cegas) as 50 marcas que chegaram à final da prova, o sentimento dos 12 jurados era o mesmo: a cachaça evoluiu, e muito.Cachaças já nas garrafas sem identificação prontas para a degustação às cegas Foto: Mateus Verzola O resultado da prova realizada no último fim de semana o Paladar revela aqui em primeira mão, inclusive para o time de jurados (que você conhece melhor no final do post). Neste ano, uma novidade, as cachaças foram divididas de acordo com o tipo de madeira em que estagiam, seu visual e a declaração no rótulo, em duas categorias,…

O art. 306 do Código de Trânsito Brasileiro conforme a Lei nº 12.760/2012

29 Janeiro, 2018 Blog
A Nova Lei Seca resolveu a questão da quantificação de álcool por litro de sangue e ampliou a possibilidade de responsabilização penal, o que é positivo. Por outro vértice, trouxe novas discussões jurídicas, todas evitáveis se o legislador fosse mesmo técnico. 1. INTRODUÇÃO Em sua redação original o art. 306, caput, do Código de Trânsito Brasileiro (Lei n. 9.503/97), assim dispunha: “Conduzir veículo automotor, na via pública, sob influência de álcool ou substância de efeitos análogos, expondo a dano potencial a incolumidade de outrem” (negritei). As penas cominadas eram: detenção, de 6 (seis) meses a 3 (três) anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor. Impulsionado pelas elevadas cifras de mortos e lesionados em acidentes de trânsito envolvendo embriaguez ao volante, a pretexto de endurecer a resposta penal para tais situações típicas, em 19 de junho de 2008 o legislador…