O serviço da cachaça: como restaurantes e bares estão difundindo o consumo da bebida através da informação

Avalie este item
(0 votos)
06 Novembro, 2017

Muitos já devem ter ouvido algum apreciador de cachaças reclamar que a bebida ainda sofre muito preconceito. Mas este cenário está mudando através de cursos e muita informação.

Mais do que com o preconceito em relação à bebida, o mercado da cachaça sofre de falta de informação. O consumidor brasileiro, por incrível que possa parecer, não conhece cachaça. E tem em seu imaginário a convicção de que ela é uma bebida forte, rústica e de baixa qualidade. Porém ela não é.

A cachaça de alambique é uma das bebidas destiladas de maior qualidade em todo o mundo, com uma complexidade de sabores que nenhuma outra pode oferecer. Isso em função de sua qualidade técnica, de produção, e principalmente por causa de sua qualidade sensorial. A grande gama de madeiras utilizadas no envelhecimento da cachaça oferece um leque enorme de aromas e sabores, que fazem frente ao gostos sempre muito parecidos do carvalho, única madeira utilizada para envelhecer bebidas no exterior, como conhaque, uísque, bourbon, grappa, tequila, rum, etc… E cachaça também, claro.

Com um trabalho de educação e muita informação, esse preconceito vem sendo quebrado aos poucos, com paciência. Porém, ainda existe uma ponta na cadeia produtiva que carece de mais atenção: o serviço.

É muito raro encontrarmos bares e restaurantes que possuam um profissional especializado no serviço da cachaça, que conheça as características sensoriais da bebida, sua história, suas curiosidades e particularidades. Assim, a tarefa de entender o consumidor, saber ler a situação e poder ofertar o produto corretamente fica a cargo do garçom, que também não o faz porque realmente não tem a informação ou não recebeu treinamento adequado para tanto. Aí, o cliente que não conhece a bebida, mesmo tendo curiosidade, acaba optando por escolher outra. Por isso, é fundamental oferecer profissionais preparados e capacitados para atender essa demanda do mercado e a ampliar ainda mais o consumo consciente da cachaça.

Devemos levar aos bares de todo Brasil a multiplicação latente de informação. Através de história, conhecimento produtivo, apreciação, seleção e treinamento de serviço adequado, teremos a oportunidade de gerar uma rede de profissionais preparados, que por sua vez atenderão aos consumidores, passando a informação correta, gerando uma rede de multiplicadores em progressão geométrica. Isso é crescimento de mercado.

Fonte: http://paladar.estadao.com.br